Em Busca da Verdade...
Este livro é dedicado a todo ser humano que busca uma razão para sua própria existência no planeta Terra.

Conheça o Autor

José Vicente M. Sylvestre

Capítulos

4-O Primeiro plano cristão - de Adão a Jesus (Dividido em 10 partes) leia as partes abaixo:

5-O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus (em 11 partes)
 


B. Pascal, foi um filósofo, físico e matemático francês do século XVII Ele fez a seguinte declaração:
Quando penso na curta duração da minha vida, engolida na eternidade que existe antes e depois dela, quando eu penso no pequeno espaço que eu preencho e vejo, no meio da imensidade infinita do espaço no qual eu sou ignorante, e no qual não me conhece, eu fico amedrontado e surpreso, pois não existe razão porque eu devo estar aqui ao invés de lá. Por que agora ao invés de antes ? Quem me pôs aqui? Quem foi que deu a ordem e direção para que este lugar e tempo fosse designado para mim ?

Acreditamos que tais respostas você poderá achar lendo "Em Busca da Verdade"

 

Autor: José Vicente M. Sylvestre, nascido em São Paulo, capital em 1937 - Casado, 3 filhos. Teólogo e Filósofo autodidata. Estudioso das Escrituras por mais de 40 anos.

Email:embuscadaverdade@embuscadaverdade.com.br

Além das respostas ás perguntas que cada um procura em si mesmo em busca dos ""porquês"" neste planeta, existiu uma razão especial e muito forte, para que este livro fosse elaborado. O autor teve uma experiência impar, vivenciando algo à noite que mudou sua vida e sua maneira de pensar. A confirmação que essa experiência foi real, o autor a teve ao abrir os jornais do dia seguinte - muitas pessoas tiveram a mesma visão.... Contaremos com todos os detalhes o que aconteceu naquela noite.
"Era uma noite agradável entre os meses de julho a setembro, no ano de 1957. Naquela noite clara, de céu muito limpo, por volta das 23.30 horas, J. Vicente acabava de chegar em sua casa, que se localizava a beira de uma avenida, hoje chamada de Av. Santo Amaro, em São Paulo, Capital, Brasil, no alto de um morro com nome de Alto da Boa Vista, entre o bairro do Brooklin Paulista e o bairro de Santo Amaro. Ao passar pelo portão, que ficava ao lado esquerdo da entrada da casa, havia alguns degraus para chegar ao jardim que era acima do nível da rua. Tinha um corredor cimentado cortando o gramado até chegar à casa. Ao lado esquerdo tinha um muro de um metro e setenta de altura que separava o jardim de uma plantação de eucaliptos de meia altura. Às suas costas avistava-se ao longe os morros do bairro Morumbi, em uma visão panorâmica.
À medida que terminava de subir os degraus sentiu uma sensação estranha de êxtase e uma forte luz azulada o envolvendo, vindo das suas costas como se fosse um farol fortíssimo a uma distância, que projetou sua sombra no chão e a sombra de um arbusto que ficava no meio do jardim. Esta luz fez com que ele se virasse instantaneamente e olhasse na linha do horizonte, em direção ao morro do Morumbi. Então viu como se fosse uma bola de fogo, voando muito baixo deixando uma cauda de luz púrpura alaranjada e azulada vindo em sua direção

No dia seguinte, ao folhear os jornais conceituados da capital, para sua surpresa a notícia que procurava estava em uma matéria pequena e dizia o seguinte: Discos Voadores são vistos nos céus de São Paulo - Por vários dias dezenas de pessoas, por volta das 23:30 horas mais ou menos, viram vários objetos voadores não identificados ( como eram chamados os ÓVNIS ), passando em formação no mesmo sentido de vôo em que ele havia visto, em um bairro próximo ao que ele estava e com as mesmas descrições. A partir desse momento e desse estado de consciência, J. Vicente soube que eram objetos de outros planetas e não daqui da Terra, pois passou a acompanhar os noticiários relacionados com ÓVNIS.
Esta experiência gerou uma série de duvidas para J. Vicente, pois havia tido formação em colégio de padres salesianos, com uma disciplina religiosa muito rígida e preconceituosa contra qualquer coisa que viesse a contrariar os princípios e ensinamentos da Igreja e isto lhe causava um mal estar, pois havia aprendido que Deus fez o céu e as estrelas somente para enfeitar as noites dos homens e morando Ele, Deus, no infinito. Para ele, até aquele momento, isto era ponto pacífico.
Ao fazer um retrospecto de tudo em que crera e havia aprendido, J. Vicente questionou-se: como fica Jesus Cristo dentro deste contexto? Naquele instante não podia se conformar com a certeza daquilo que era pregado, este conceito tão categórico de que tudo tinha sido feito para o homem. Ele estava se sentido um tolo! Dentro do retrospecto histórico da humanidade, passou a pensar então nos grandes pensadores como Sócrates, Platão, Demócrates, etc. Seria impossível, que através dos tempos e com grandes pensadores e inteligências, não houvesse nenhuma menção de outros mundos e seres extraterrestres.
Foi neste ponto que tomou a decisão de pesquisar tudo que pudesse ter relação com o Universo cósmico, através de publicações da NASA, que poderiam ser encontradas na imprensa. Passou também a acompanhar as notícias relacionadas com aparições de ÓVNIS e de seres extraterrestres, pois nessa época já se publicava matéria sobre todas as partes do mundo. Analisava friamente os relatos das pessoas, publicados pela mídia, sem se envolver emocionalmente e os guardava para um estudo mais profundo, futuramente.
Através dos anos, J.Vicente foi tomando conhecimento que havia um grupo de pessoas renomadas que se dedicavam profundamente ao assunto como: Cleto Nunes Pereira, Flávio Pereira, General Uchôa, entre outros, que faziam pesquisas sérias à respeito e com trabalhos já publicados, como o livro "A Bíblia e os Discos Voadores", de Cleto Nunes Pereira. Em contato com este autor, ouviu relatos que o impressionaram muito. Soube que havia congressos em outros países com grandes revelações, incluindo a Rússia (União Soviética) e os Estados Unidos. Para a época, isso parecia quase impossível, pois havia uma grande rivalidade política entre as duas potências. Nos Estados Unidos havia um livro chamado "O Livro Azul dos Discos Voadores", que pertencia à NASA (um departamento da Força Aérea Americana). Segundo fontes fidedignas, era mantido fechado a sete chaves, pois continha fotos de extraterrestres, de muitos objetos deixados por eles e fotos de naves em vôo sem a possibilidade de fraudes. Materiais que não pertenciam a este planeta, em forma de metal, seriam guardados em segredo pela Nasa.

Numa conversa descontraída com Cleto, após ele ter ouvido seu relato, J. Vicente perguntou-lhe até meio indignado, como que a humanidade, às vésperas do ano dois mil (na época), não tinha conhecimento algum a esse respeito, ficando restrito apenas a um pequeno grupo estas revelações tão valiosas para a humanidade. Cleto o olhou muito serenamente e disse que isso é parte de um jogo que se tenta decifrar nos dias de hoje. Uma revelação concreta, disse ele, poderia levar a humanidade ao pânico, por isso é preciso ter muita cautela ao se fazer uma declaração ao público.
Cleto era uma pessoa calma, de estatura alta, magro, moreno, rosto afilado, cabelos escuros levemente grisalhos e de olhar profundo. Ele sentiu a ansiedade de J. Vicente por conhecimento e o indagou:" Por acaso você já leu a Bíblia?" J. Vicente arregalou os olhos e em total espanto respondeu: Nunca. Na minha época de Colégio Salesiano nós só tínhamos acesso ao missal ou catecismo, mas nunca à Bíblia, que era leitura exclusiva dos padres. E perguntou: O que tem a ver a Bíblia com tudo isto? - Naquela época havia uma distância muito grande entre os conhecimentos bíblicos de um padre e os fiéis, pois as missas eram rezadas em latim. Os ouvintes, de uma maneira geral não entendiam nada. Mas a fé supera qualquer obstáculo. O ser humano, envolvido no seu dia a dia, não pára muito para pensar na parte espiritual, a menos que tenha algum problema de saúde ou esteja em grandes dificuldades. Talvez isto não acontecesse se a parte que toca às religiões, instituídas ou não, dessem ensinamentos e orientação espiritual mais profunda ao ser humano, no período da infância. - Daí o espanto diante da pergunta.
Cleto esclareceu:" Isto que você está procurando, estas respostas, talvez estejam na Bíblia. Há muitos anos faço esta pesquisa. Fez um rápido comentário sobre seu livro, "A Bíblia e os discos voadores" onde as notícias estariam "fresquinhas". Em seguida deu as seguintes instruções com relação às pesquisas bíblicas: Existem várias traduções bíblicas, entre elas a tradução do padre Matos Soares, que é a mais antiga, das Edições Paulinas e a de João Ferreira de Almeida (corrigida e revisada) da Sociedade Bíblica do Brasil. Estas duas se assemelham em traduções, com pequenas diferenças, algumas inversões de frases devido a origem da tradução.
Pois bem, esta conversa se passou há muitos anos atrás e a partir desta data, J. Vicente passou então a ler a Bíblia capítulo a capítulo, profeta por profeta e quando tinha dúvidas comparava as duas traduções, sempre com bons resultados.
Iniciou um trabalho de pesquisa em cima da montagem bíblica, através dos profetas e apóstolos, começando pelo Primeiro testamento, composto por quarenta e seis livros com sete apócrifos e o Segundo testamento com vinte e sete livros. ( Com a diferença em traduções e montagens do Primeiro (velho) testamento das edições Paulinas, os livros considerados apócrifos enriquecem um pouco mais a edição. ) Desta forma pode comparar e avaliar até que ponto estes livros poderiam influenciar o contexto geral conclusivo ou alterar as conclusões finais. Como isso não aconteceu, J. Vicente achou melhor não incluí-los neste livro.
O método usado foi simples, para se chegar a uma conclusão final com relação aos sessenta e seis livros, excluindo os apócrifos: ler livro por livro e comparar entre si os pontos comuns. Por exemplo, os profetas e apóstolos agiram como intercessores ou mediadores tentando traduzir o que Deus queria da humanidade em relação à nossa alma. Pois existe uma contenda, dentro de um mundo materialista que oferece todo tipo de prazeres, no qual o ser humano pode desfrutar sem exagero das coisas oferecidas, com moderação. Procurando reeducar-se para que possa voltar para o ponto de origem, que é seu lar definitivo, ele então se reintegra na sociedade universal eterna.
Uma das conclusões obtidas neste estudo ou pesquisa é que apesar do grande número de livros escritos, não foi encontrada nenhuma contradição, por menor que fosse, entre idéias e objetivos em relação à parte espiritual e material. Apesar disso, pessoas comuns e religiosas afirmam que a Bíblia tem várias interpretações, e que cada um tira suas próprias conclusões. Pois esse foi um dos motivos que levou J. Vicente a fazer essa pesquisa. Seria um contra-senso se várias pessoas tidas como profetas, falando de um Deus único, tivessem contradições no que estivessem pregando. Mas para sua tranqüilidade isso não foi confirmado. A Bíblia não tem contradições e nem várias conclusões, mas um princípio, meio e um fim em todas as profecias, de uma forma inteligente e perfeita pela quais profetas transmitiram os planos de Deus para a humanidade.
Este estudo ou livro propõe e espera que o leitor tire suas próprias conclusões. No decorrer dos anos que separam o autor daquela noite mencionada, o estudo ou programa, passou pelos mais difíceis testes de análise, tanto em grupos religiosos liberais, como institucionais e individuais. Quero mencionar que esse livro em forma de estudo foi testado em grupos de adultos e jovens, porém o mais difícil dos testes, foi expor este programa a uma instituição de ensino público do Estado de São Paulo onde obtivemos excelentes resultados. Nas classes mistas de quinta à oitava série (do ensino básico), com jovens de todas as religiões, o resultado foi surpreendente, trazendo um estado de consciência tão grande que o colégio, que se achava em uma classificação como um dos piores da região, após três meses passou a ser colégio modelo em disciplina e freqüência. Foi muito gratificante quando, após as primeiras semanas de aula, constatou-se audiência completa das classes, despertando um interesse fora do normal dos alunos pelo Ensino Religioso, tal a sede de busca do indivíduo à origem da parte espiritual, carente na humanidade atual. O ser humano vive à busca de uma sabedoria sincera, prática e lógica como "dois mais dois são quatro". Isso dá à humanidade o resgate da dignidade, da razão de viver e o encontro consigo mesmo.

Caso queira ler mais a respeito entre em contato conosco.


Porque estamos aqui na Terra? Qual o objetivo da vida? Se Disco voador existe, onde fica a história de Jesus Cristo? Quem está certo, o Judeu, o Cristão, o Budista? Qual a ligação entre as religiões?


photo_tour_HST_DeepField2

OS CIENTISTAS ACREDITAM QUE EXISTEM MILHARES DE SISTEMAS IGUAIS A NOSSA GALÁXIA COM BILHÕES DE ESTRELAS....SERÁ QUE SÓ HÁ VIDA EM NOSSO PLANETA?

SERÁ QUE HOUVE UM PLANO PRÉ-ESTABELECIDO POR DEUS PARA A RECUPERAÇÃO DA HUMANIDADE?

 

Copyright © 2008, www.embuscadaverdade.com.br. All rights reserved.
Webmaster : J.E.S.