Em Busca da Verdade...
Capítulo 5

O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus

PARTE 6 -

Advertência aos Cristãos, para com o mundo espiritual

Capítulos

0- Introdução

1-Antes da Criação do Mundo

2- Período da Criação

3-Classificação dos anjos em relação aos povos da Terra

4-O Primeiro plano cristão - de Adão a Jesus (Dividido em 10 partes) leia as partes abaixo:

4.1-Adão o profeta

4.2- Adão a Noé

4.3- Primeiro pacto: Deus e Noé

4.4- Segundo pacto: Deus e Abrão

4.5-Terceiro pacto: Deus e Moises

4.6- Quarto pacto: Deus e Davi

4.7- Meios de comunicação

4.8- Análise do Profeta Isaias

4.9- Análise do Profeta Jeremias

4.10- Analise do Profeta Zacarias

5-O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus (em 11 partes)

5.1- Jesus, o primeiro a ressuscitar dos mortos

5.2- Significado especial da palavra Vida e Morte

5.3- Cada um é responsável por seus atos

5.4- Os deveres dos servos Cristãos

5.5-Advertência às Igrejas Cristãs

5.6- Advertência aos Cristãos, para com o mundo espiritual

5.7- Relacionamento dos dois Adãos

5.8- Melquisedeque uma simples figura de Cristo

5.9- Jesus dá o relacionamento da família comforme quer

5.10- Classificação dos espíritos através do nascimento

5.11 Predições da vinda de Cristo nos últimos tempos

6-Juizo Final

7- Fim do Planeta Terra

 

 

 Existe vida espiritual após a morte?

O corpo tem espírito?

Estas dúvidas sempre pairam em nossas mentes.

 

Nesta parte do livro resolvi contar uma experiência que se deu na minha adolescência.

Tive uma infância feliz, muito ligada à natureza, pois morávamos em uma chácara no bairro do Socorro, Sto. Amaro - S. Paulo. Meu pai era funcionário da antiga Light e tínhamos vacas, cavalos e grandes parreiras de uvas em nosso quintal.

A pessoa que cuidava de nossa chácara era um senhor afro-brasileiro com um grande bigode enrolado nas pontas. Sua família era grande, tinham dez filhos ao todo. Era uma pessoa muito boa!   Eu gostava muito de estar com ele, enquanto trabalhava.    Por ser uma pessoa de confiança, meu pai que era chefe supervisor na Light no Dep. de patrimônio, arrumou uma vaga para ele como fiscal em seu departamento. Com isso, o Sr. Honorato, foi transferido para outra cidade, Ibiúna, a uns setenta quilômetros de S. Paulo, no bairro do Campo Verde, à beira da represa de Sorocaba, distante uns quinze quilômetros do centro.   Neste trajeto havia poucas casas à beira  da estrada. Com o passar do tempo um dos seus filhos, que tinha o seu nome, (nós o chamávamos de Noratinho) veio morar conosco em São Paulo. Ficava mais fácil para estudar e trabalhar, pois era mecânico de automóveis. Nesta altura eu tinha por volta dos  quinze anos de idade. O Noratinho era um pouco mais velho. Morava conosco também nesta época, um primo meu, que viera de Sorocaba.  Nos dávamos muito bem, estávamos juntos quase o tempo todo caçando, andando de bicicleta e a cavalo.

Moravam próximo à nossa casa, duas tias que vieram da cidade de Amparo, origem da família  paterna.  Com elas veio também um tio do meu pai, tio Chico. Tinha idade bem avançada, mas era completamente lúcido. Nós gostávamos de sentar no corredor da casa onde ele ficava tomando sol pela manhã e pedíamos para contar histórias de pescarias que fazia e os apertos que passava com onças, nestas feitas, como dizia ele. Nós o admirávamos muito, passávamos horas conversando!  Tio  Chico já passava dos cem anos.

Em nossas férias íamos para a casa do pai do Noratinho lá em Ibiúna, no Campo Verde, onde passávamos quinze a vinte dias pelo menos.  Pescávamos, caçávamos  e andávamos muito à cavalo, esquecidos do mundo...!

Certa vez tínhamos programado para o dia seguinte irmos à cidade de Ibiúna, buscar suprimentos para a casa, a pedido de Da. Isabel, mulher do Sr. Honorato. Assim, pela manhã bem cedo, saímos a cavalo e fomos em direção à cidade. Ao meio do caminho à beira de uma mata, paramos para arrumar os arreios nos cavalos e sentamos um pouco para apreciar a paisagem e descansar. Estávamos nós três, Antoninho meu primo, Noratinho e eu.  Nisto, vi o Noratinho com ar de espanto, e nos disse:  Acabo de me lembrar! Esta noite  tive um sonho com o tio Chico. Foi como se estivesse vendo vocês aqui. Foi perfeito!  Ele chegou em nosso quarto e vocês dois estavam dormindo. Exclamei: “ Tio Chico o senhor aqui?”  Ele respondeu “Eu vim me despedir de vocês. “ Foi perto de cada um e depois foi desaparecendo, disse  Noratinho. Eu juro por Deus! Ficamos pensativos e comentamos, será que aconteceu alguma coisa com ele? Após esse comentário, montamos em nossos cavalos e continuamos nosso caminho.

Àquela época, para se fazer uma ligação para  S. Paulo ou Sto. Amaro demorava mais de quatro horas! Normalmente se pedia uma ligação hoje, para se falar no dia seguinte, era muito dificultoso, nós não tínhamos telefone em casa. Seria necessário ligar para a Light, onde trabalhava meu pai. Com toda esta dificuldade esquecemos o assunto e continuamos  nossas férias, que dessa vez foi mais prolongada.

Dias depois após o ocorrido, voltamos para casa e já tínhamos esquecido o fato completamente. 

Estávamos conversando com minhas irmãs e em determinado momento,  minha irmã Lourdes nos disse: Tenho uma notícia triste que vocês não estão sabendo, mas não tínhamos como avisar.  O tio Chico  morreu, faz uns vinte dias atrás. Naquele momento nos entreolhamos atônitos e relatamos o fato que se deu conosco.  E com muita surpresa, todos  nos demos conta  de que realmente, ele havia ido se despedir de nós na mesma noite que havia falecido!

Pensando neste episódio,  não posso negar que exista uma alma ou espírito.   Mediante esse fato, creio que a alma ou espírito não fica dormindo perante a morte, mas passa para  outro plano ou  dimensão.                            

 

 

Reportagem- Noticias populares

– São Paulo, quinta-feira, 18 de setembro de 1975-   

Cientista denuncia:  Há vida após a morte.
  

Nova York (ap-np)—A doutora Elizabeth Kublerross, eminente psiquiatra especializada na investigação das reações do homem ante a morte, afirma que seus estudos a convenceram de que a vida continua depois do túmulo.

Antes – afirmou – via a morte como fim natural da existência individual, porém, agora, salienta, está “segura de que não é assim”, e que a vida psíquica continua após a paralisação do organismo físico.

Relata que suas conclusões baseiam-se principalmente no seu contato e experiências com moribundos, e nas entrevistas que manteve com aqueles que voltaram a si após terem sido declarados clinicamente mortos pelos médicos.

“Agora, sem sombra de dúvidas, creio na vida depois da morte”, diz a doutora.

A psiquiatra de nacionalidade Suiça e residente em Chicago, declarou, numa recente conferência sobre “A Morte, os Moribundos e a Vida”, em Richmond, Indiana, que “nenhum dos pacientes que passaram pela experiência da morte e voltaram a si, passaram depois disso a ter medo de morrer”.

 

Religiosos morrem serenos.

 

Em sua análise, afirma que a maioria dos moribundos passa por cinco fases de emoção: repudio à morte, revolta ante a morte, questionamento da morte, depressão, e aceitação, embora nem sempre na mesma ordem.

Alguns não atingem a etapa da aceitação, disse, mas aqueles que o conseguiram, morrem com serenidade. “As pessoas verdadeiramente religiosas – diz “e com relação permanente com Deus, enfrentam a morte com muito mais naturalidade’.

Entretanto, disse que aqueles que falam constantemente da vida depois da morte “não são os verdadeiramente religiosos”, mas na verdade recusam a idéia da morte da própria mortalidade. “Jamais encaram a realidade de que é preciso morrer para ressucitar”, ressaltou.

Segundo a psiquiatra, se for possível verificar cientificamente tais experiências sobre os mortos, isto traria contribuições e provas sobre os conceitos cristãos da vida após a morte, que há séculos estão sendo procurados.

 

Fim da reportagem.

 

 

Para alertar aos que buscam uma orientação dentro das consultas aos espíritos através de profetas e adivinhos, fica a advertência:  Existem duas  linhas enfocando este tema.  A primeira, são os que rejeitam tais fatos incondicionalmente, porque estão dentro de uma linha Evangélica ou Católica . Não  aceitam qualquer comunicação com espíritos  através de consulta, ou explicação para estes episódios, com medo de estar entrando ou admitindo de alguma forma as doutrinas Espíritas.  Mas por outro lado os fatos existem e são relatos Bíblicos reais, sem rodeios. 

A segunda linha são os que não conhecem a Bíblia,  não tiveram estudos bíblicos e aceitam outras doutrinas naturalmente.  Procuram este tipo de consulta para sua própria orientação.

Trata-se de um assunto delicado onde as duas partes ou linhas de pensamento, se auto-justificam. Portanto é necessário que se estude fatos e passagens bíblicas, única maneira de haver um acordo dentro da palavra de Deus.        

Há pessoas, mais desavisadas, que procuram comunicar-se com  “espíritos”. Estas coisas ocorrem em nosso  dia a dia.  Da mesma forma que caímos em tentação e pecamos, mesmo conhecendo os mandamentos de Deus, muitas pessoas acabam procurando necromantes e adivinhos para consultar espíritos e acabam caindo nesta tentação,  pois, como veremos, isto também é condenado. Na maioria das vezes, estas pessoas acabam saindo de tais encontros pior do que quando entraram.    A  angústia  aqui na terra é muito grande, procura-se respostas  para  entender os mistérios que nos rodeiam,  através do mundo invisível espiritual.   Mas, com os  exemplos bíblicos e nos textos que se seguem, pode-se ficar confortado com as mensagens de fé que  trazem  paz espiritual e a paciência  de que se necessita,  para a orientação do  dia a dia, pois de acordo com estas passagens veremos que tal prática é condenada, pois interfere no livre arbítrio de cada um. Além  disso, cria uma dependência às pessoas que fazem esta ponte de ligação entre os espíritos e os homens. E o que é a fé? A fé é a convicção de crer naquilo que não se vê(Heb.11:01). Há um resgate individual pelo qual temos que passar, por meio de nossa conduta e obediência às Leis Divinas.  E somente através disso, conseguiremos a paz que almejamos.  

O  trecho que se segue abaixo, é um entrelaçamento de textos bíblicos com as  traduções de João F. de Almeida   e do Pe. Matos Soares.        

 

Isaias - Cap. 8 - Vers. 13 a 22 (19 e 21 )

 

13  Ao SENHOR dos Exércitos, a ele santificai; e seja ele o vosso temor, e seja ele o vosso assombro.

14  Então, ele vos será santuário, mas servirá de pedra de tropeço e de rocha de escândalo às duas casas de Israel; de laço e rede, aos moradores de Jerusalém.

15  E muitos dentre eles tropeçarão, e cairão, e serão quebrantados, e enlaçados, e presos.

16  Liga o testemunho e sela a lei entre os meus discípulos.

17  E esperarei o SENHOR, que esconde o rosto da casa de Jacó, e a ele aguardarei.

18  Eis-me aqui, com os filhos que me deu o SENHOR, como sinais e maravilhas em Israel da parte do SENHOR dos Exércitos, que habita no monte de Sião.

19  Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; —não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos?

20  À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva.

21  E passarão pela terra duramente oprimidos e famintos; e será que, tendo fome e enfurecendo-se, então, amaldiçoarão ao seu rei e ao seu Deus, olhando para cima.

22  E, olhando para a terra, eis que haverá angústia e escuridão, e serão entenebrecidos com ânsias e arrastados para a escuridão.          

Nesta passagem que acabamos de ler, temos vários pontos importantes. Apesar de ser condenado biblicamente a consulta dos homens aos espíritos, no versículo 19 e 21, vemos uma advertência ao espírito que não fala a verdade. Estaria o profeta querendo dizer que caso ele não fale a verdade, ele voltaria (encarnado) para terra em um estado “ oprimido e faminto” , como conseqüência? O leitor poderá tirar as suas conclusões.

 

Nesta passagem abaixo temos outro caso muito comum em nossas igrejas de hoje. Aonde os fiéis vão para buscar uma orientação de Deus, e encontram falsos líderes profetizando enganosamente em nome de Deus.

Apocalipse – Cap. 2 - Vers.20-23

 

20  Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensina e engana os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria.

21  E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu.

22  Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras.

23  E ferirei de morte a seus filhos, e todas as igrejas saberão que eu sou aquele que sonda os rins e os corações. E darei a cada um de vós segundo as vossas obras.

.

Neste pequeno versículo de I Samuel, mais uma vez é comentado que Deus traz a morte física, conduz a mansão dos mortos (como diz outra tradução) e Ele mesmo faz este espírito voltar a Terra.

I  Samuel - Cap. 2 - Vers. 6

 

6  O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela.

 

Nesta passagem abaixo, veremos o desespero do Rei Saul, a procura de uma palavra de Deus, pois sempre falava com Ele através de seu profeta Samuel. Como Saul, havia pecado contra Deus e por este motivo Deus havia se afastado dele, Saul ficou sem orientação divina. Cercado pelos seus inimigos, o Rei de Israel, quis de qualquer forma buscar uma orientação, e com isso foi procurar uma necromante para consultar o Espírito de Samuel, pois já estava morto(morto fisicamente). Saul tinha mandado matar todas as necromantes, feiticeiras e adivinhadoras do seu reino, e devido a isto, as que restaram estavam escondidas com medo da morte (devido ao decreto de Saul). No entanto, Saul, manda achar alguém, seus auxiliares comentam que conhecem uma mulher em uma determinada cidade. Saul vai até a tal mulher, que ao ver Saul não o reconhece de imediato, pois estava disfarçado. Com medo ela teme a morte, porém, Saul que não se revelou como Rei, disse que não”iria contar a ninguém”. Quando ela chama Samuel, imediatamente é revelado a ela que aquele homem a qual ela estava atendendo era Saul. Apesar de várias facções da igreja cristã, não concordar de que realmente era o Espírito de Samuel que ela consultava, biblicamente, não achamos base para tal afirmação, pois o Rei Saul identificou pelas descrições a figura de Samuel, também foi revelado a necromante que Saul era a pessoa que estava fazendo a consulta, e tudo o que foi dito pelo espírito de Samuel, vieram de fato a acontecer, dando credito que realmente se tratava do espírito de Samuel.

Dicionário:

URIM  =  Adorno que o sacerdote supremo punha ao peito para consultar a Deus em casos mais graves de interesse público.

DESTERRADO = eliminado

 

I  Samuel - Cap. 28 - Vers. 1 a 25

 

1  E sucedeu, naqueles dias, que, juntando os filisteus os seus exércitos para a peleja, para fazer guerra contra Israel, disse Aquis a Davi: Sabe, decerto, que comigo sairás ao arraial, tu e os teus homens.

2  Então, disse Davi a Aquis: Assim saberás tu o que fará o teu servo. E disse Aquis a Davi: Por isso, te terei por guarda da minha cabeça para sempre.

3  E já Samuel era morto, e todo o Israel o tinha chorado e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; e Saul tinha desterrado os adivinhos e os encantadores.

4  E ajuntaram-se os filisteus, e vieram, e acamparam-se em Suném; e ajuntou Saul a todo o Israel, e se acamparam em Gilboa.

5  E, vendo Saul o arraial dos filisteus, temeu, e estremeceu muito o seu coração.

6  E perguntou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR lhe não respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas.

7  Então, disse Saul aos seus criados: Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de feiticeira, para que vá a ela e a consulte. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor uma mulher que tem o espírito de adivinhar.

8  E Saul se disfarçou e vestiu outras vestes, e foi ele e com ele dois homens, e de noite vieram à mulher; e disse: Peço-te que me adivinhes pelo espírito de feiticeira e me faças subir a quem eu te disser.

9  Então, a mulher lhe disse: Eis aqui tu sabes o que Saul fez, como tem destruído da terra os adivinhos e os encantadores; por que, pois, me armas um laço à minha vida, para me fazer matar?

10  Então, Saul lhe jurou pelo SENHOR, dizendo: Vive o SENHOR, que nenhum mal te sobrevirá por isso.

11  A mulher, então, lhe disse: A quem te farei subir? E disse ele: Faze-me subir a Samuel.

12  Vendo, pois, a mulher a Samuel, gritou em alta voz; e a mulher falou a Saul, dizendo: Por que me tens enganado? Pois tu mesmo és Saul.

13  E o rei lhe disse: Não temas; porém que é o que vês? Então, a mulher disse a Saul: Vejo deuses que sobem da terra.

14  E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra e se prostrou.

15  Samuel disse a Saul: Por que me desinquietaste, fazendo-me subir? Então, disse Saul: Mui angustiado estou, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se tem desviado de mim e não me responde mais, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso, te chamei a ti, para que me faças saber o que hei de fazer.

16  Então, disse Samuel: Por que, pois, a mim me perguntas, visto que o SENHOR te tem desamparado e se tem feito teu inimigo?

17  Porque o SENHOR tem feito para contigo como pela minha boca te disse, e o SENHOR tem rasgado o reino da tua mão, e o tem dado ao teu companheiro Davi.

18  Como tu não deste ouvidos à voz do SENHOR e não executaste o fervor da sua ira contra Amaleque, por isso, o SENHOR te fez hoje isso.

19  E o SENHOR entregará também a Israel contigo na mão dos filisteus, e amanhã tu e teus filhos estareis comigo; e o arraial de Israel o SENHOR entregará na mão dos filisteus.

20  E, imediatamente, Saul caiu estendido por terra e grandemente temeu por causa daquelas palavras de Samuel; e não houve força nele, porque não tinha comido pão todo aquele dia e toda aquela noite.

21  Então, veio a mulher a Saul e, vendo que estava tão perturbado, disse-lhe: Eis que deu ouvidos a tua criada à tua voz, e pus a minha vida na minha mão e ouvi as palavras que disseste.

22  Agora, pois, ouve também tu as palavras da tua serva, e porei um bocado de pão diante de ti, e come, para que tenhas forças para te pores a caminho.

23  Porém ele o recusou e disse: Não comerei. Porém os seus criados e a mulher o constrangeram; e deu ouvidos à sua voz. E levantou-se do chão e se assentou sobre uma cama.

24  E tinha a mulher em casa uma bezerra cevada, e se apressou, e a degolou, e tomou farinha, e a amassou, e a cozeu em bolos asmos.

25  E os trouxe diante de Saul e de seus criados, e comeram. Depois, levantaram-se e se foram naquela mesma noite.

 

Em I S. João, temos uma advertência em relação aos espíritos. Pois muitos dirão que são de Deus porém não o são.

 I  S.  João - Cap. 4 - Vers. 1 a 6

 

1 AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.

2 Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;

3 E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo.

4 Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.

5 Do mundo são, por isso falam do mundo, e o mundo os ouve.

6 Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro.

 

Nesta passagem bíblica de Deuteronômio, Deus está instruindo o seu povo que vai receber a terra prometida, dizendo a ele que o povo que vive lá, consulta espíritos e necromante, pois são um povo infiel, que não teme a Deus, porém o povo escolhido de Deus deve ficar afastado destas abominações, confiando nas Leis de Deus e nas Santas Escrituras.

 

Dicionário:

soberbamente = arrogância – altivez

Deuteronômio - Cap. 18 - Vers. 9  a   22

9 Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações.

10 Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem feiticeiro;

11 Nem encantador de encantamentos, nem quem consulte um espírito adivinhante nem mágico, nem quem consulte os mortos:

12 Pois todo aquele que faz tal cousa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus as lança fora de diante dele.

13 Perfeito serás, como o Senhor teu Deus.

14 Porque estas nações, que hás de possuir, ouve os prognosticadores e os adivinhadores: porem a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal cousa.

15 O Senhor teu Deus te despertará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvirei:

16 Conforme a tudo o que pediste ao Senhor teu Deus em Horebe, no dia da congregação, dizendo: Não ouvirei mais a voz do Senhor meu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra.

17 Então o Senhor me disse: Bem falaram naquilo que disseram.

18 Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.

19 E será que qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu o requererei dele.

20 Porem o profeta que presumir soberbamente -( arrogância – altivez)-de falar alguma palavra em meu nome, que eu lhe não tenho mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, o tal profeta morrerá.

21 E, se disserem no teu coração: Como conheceremos a palavra que o Senhor não falou?

22 Quando o tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou: com soberba a falou o tal profeta: não tenha temor dele.        

 

 

Ao ler as cartas de Paulo aos  Hebreus, pode-se afirmar com certeza que todo ser humano, de alguma forma, tem o seu “anjo da guarda", citado aqui como “espíritos ministradores ou orientadores”, para amparar aqueles que o invocam, ou seja o Espírito Santo de Deus. A igreja cristã de um modo geral, não consegue compreender esta passagem, pois em suas doutrinas, colocam o Espírito Santo, sendo Deus, o que não é. Mas o Espírito Santo de Deus, vem a ser os “espíritos ministradores ou orientadores” que falam em nome de Deus, porém não são o “Deus do Universo” (da mesma forma que Jesus menciona que ele não teve por USURPAÇÃO ser igual a Deus).  Fica mais claro entender quando Jesus fala que caso pecarmos contra ele, ele perdoa, porém o Espírito Santo de Deus não perdoa.  Mas atenção:  no outro pólo também, os anjos revoltosos atuam em seus adeptos, ou àqueles que abrem espaço através de suas mentes e de seus atos.  É o caso do próximo texto,  onde o espírito maligno entra no corpo e na mente de Judas Escariótes que, imbuído de tentação fortíssima, trai Jesus, vendendo a informação de onde o Mestre se encontrava, para ser preso e condenado como conta a história.    Estas situações são exemplos intuitivos que funcionaram em dois sentidos: Positivo e negativo.  Porque?   Porque existe uma batalha de potestades celestiais disputando nossas almas, à partir de nosso livre arbítrio, que só terminará no final dos tempos, quando nosso Deus Todo Poderoso assim o determinar.      

 

Aos  Hebreus – Cap. 1 - Vers. 10   a  14

 

10  E: Tu, Senhor, no princípio, fundaste a terra, e os céus são obra de tuas mãos;

11  eles perecerão, mas tu permanecerás; e todos eles, como roupa, envelhecerão,

12  e, como um manto, os enrolarás, e, como uma veste, se mudarão; mas tu és o mesmo, e os teus anos não acabarão.

13  E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, até que ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?

14  Não são, porventura, todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?

 

 

 Lucas - Cap. 22 - Vers. 1 a 6 

 

1  Estava, pois, perto a Festa dos Pães Asmos, chamada de Páscoa.

2  E os principais dos sacerdotes e os escribas andavam procurando como o matariam (`Jesus),  porque temiam o povo.

3  Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze.

4  E foi e falou com os principais dos sacerdotes e com os capitães de como lho entregaria,

5  Os quais se alegraram e convieram em lhe dar dinheiro.

6  E ele concordou e buscava oportunidade para lho entregar sem alvoroço.

 

 

Jesus adverte os seus discípulos que será traído por um dos seus.

Ev. S. João - Cap. 13 - Vers. 19 a 30

 

 

19  Desde agora, vo-lo digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis que eu sou.

20  Na verdade, na verdade vos digo que se alguém receber o que eu enviar, me recebe a mim, e quem me recebe a mim recebe aquele que me enviou.

21  Tendo Jesus dito isso, turbou-se em espírito e afirmou, dizendo: Na verdade, na verdade vos digo que um de vós me há de trair.

22  Então, os discípulos olhavam uns para os outros, sem saberem de quem ele falava.

23  Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus.

24  Então, Simão Pedro fez sinal a este, para que perguntasse quem era aquele de quem ele falava.

25  E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?

26  Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão.

27  E, após o bocado, entrou nele Satanás. Disse, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa.

28  E nenhum dos que estavam assentados à mesa compreendeu a que propósito lhe dissera isso,

29  porque, como Judas tinha a bolsa, pensavam alguns que Jesus lhe tinha dito: Compra o que nos é necessário para a festa ou que desse alguma coisa aos pobres.

30  E, tendo Judas tomado o bocado, saiu logo. E era já noite.

 

Nesse texto que leremos abaixo, após a morte de Jesus, há algumas manifestações de Jesus, e entendemos que Ele (Jesus) está sob outra forma, com outro corpo, porque os seus discípulos, apesar de estarem olhando para ele e conversando, só se deram conta de que era Jesus, por seus atos que habitualmente costumava fazer,  como ao partir o pão. Na terceira aparição ele se apresenta materializado com o seu próprio corpo, onde os discípulos puderam tocá-lo,  sentindo e vendo as chagas causadas pelos cravos da cruz. Esta passagem é extremamente importante, porém poucos conseguem entender, pois  nunca pensam  na possibilidade de Jesus aparecer com outro corpo.

 

Dois discípulos no caminho de Emaús.

 Lucas - Cap. 24 - Vers. 13 a  49

 

13  E eis que, no mesmo dia, iam dois deles para uma aldeia que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús.

14  E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido.

15  E aconteceu que, indo eles falando entre si e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou e ia com eles.

16  Mas os olhos deles estavam como que fechados,  para que o não conhecessem.

17  E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós e por que estais tristes?

18  E, respondendo um, cujo nome era Cleopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias?

19  E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo;

20  e como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte e o crucificaram.

21  E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas, agora, com tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.

22  É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro;

23  e, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive.

24  E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro e acharam ser assim como as mulheres haviam dito, porém, não o viram.

25  E ele lhes disse: Ó néscios (ignorantes) e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!

26  Porventura, não convinha que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória?

27  E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.

28  E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe.

29  E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.

30  E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o e lho deu.

31  Abriram-se-lhes, então, os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes.

32  E disseram um para o outro: Porventura, não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava e quando nos abria as Escrituras?

33  E, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém e acharam congregados os onze e os que estavam com eles,

34  os quais diziam: Ressuscitou, verdadeiramente, o Senhor e apareceu a Simão.

35  E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles foi conhecido no partir do pão.

 

Manifestação de Jesus em outras formas.

Jesus não é reconhecido  visualmente  pelo intérprete

 

Ev. S. João - Cap. 21 - Vers. 4 a 14  (12)

 

4  E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus.

5  Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.

6  E ele lhes disse: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes.

7  Então, aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar.

8  E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes.

9  Logo que saltaram em terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.

10  Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes.

11  Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, sendo tantos, não se rompeu a rede.

12  Disse-lhes Jesus: Vinde, jantai. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? Porque sabiam que era o Senhor.

13  Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lho, e, semelhantemente, o peixe.

14  E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos depois de ter ressuscitado dos mortos.

 

 

Aparição de Jesus aos doze 

 

36  E, falando ele dessas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles e disse-lhes: Paz seja convosco.

37  E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.

38  E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos ao vosso coração?

39  Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.

40  E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.

41  E, não o crendo eles ainda por causa da alegria e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?

42  Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado e um favo de mel,

43  o que ele tomou e comeu diante deles.

44  E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos.

45  Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.

46  E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse e, ao terceiro dia, ressuscitasse dos mortos;

47  e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.

48  E dessas coisas sois vós testemunhas.

49  E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.

 

Aos Hebreus - Cap.13 - Vers.  2

 

2  Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.

Aproveitando os textos que se seguem, quero ressaltar um assunto também polêmico relacionado com  Maria, mãe de Jesus e seus irmãos.

Algumas denominações ou seguimentos, relutam em  aceitar a possibilidade de que Jesus tinha outros irmãos, pois como Maria concebeu Jesus sendo virgem, acham que ela ficaria apenas com o primeiro filho.  Mas Maria, após ter tido Jesus, seu primeiro filho, virgem, teve uma vida normal com José, seu marido, como outro casal qualquer.

Veremos então, uma mãe preocupada com o filho que era polêmico e com sua Divina Missão frente à humanidade. Trazia sempre com ela os outros filhos, irmãos de Jesus, que a acompanhavam  para saber notícias do seu Primogênito, como habitualmente qualquer mãe  o faria.

No ultimo versículo abaixo, podemos notar que junto com os apóstolos estava Maria mãe de Jesus e seus irmãos

Atos dos Apóstolos  - Cap 1 - Vers. 6 a 14 (9–11)

 

6  Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?

7  E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.

8  Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.

9  E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

10  E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco,

11  os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.

12  Então, voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado.

13  E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, filho de Tiago.

14  Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos.

 

 

 

Aqui, nota-se  a preocupação de pai e mãe , procurando saber de seu filho, em sua adolescência, como um casal normal.

Lucas - Cap. 2 - Vers. 39 a 52  

 

39  E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré.

40  E o menino crescia e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.

41  Ora, todos os anos, iam seus pais a Jerusalém, à Festa da Páscoa.

42  E, tendo ele doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.

43  E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o souberam seus pais.

44  Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia e procuravam-no entre os parentes e conhecidos.

45  E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.

46  E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os.

47  E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.

48  E, quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu, ansiosos, te procurávamos.

49  E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?

50  E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.

51  E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no coração todas essas coisas.

52  E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.

 

S. Marcos - Cap. 6 – Vers. 1 a 6

 

1  E, partindo dali, chegou à sua terra, e os seus discípulos o seguiram.

2  E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm essas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos?

3  Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, e de José, e de Judas, e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele.

4  E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra, senão na sua terra, entre os seus parentes e na sua casa.

5  E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.

6  E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando.

 

A família de Jesus

Lucas - Cap. 8 - Vers. 19 a 21

 

19  E foram ter com ele sua mãe e seus irmãos e não podiam aproximar-se dele, por causa da multidão.

20  E foi-lhe dito: Estão fora tua mãe e teus irmãos, que querem ver-te.

21  Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam.

Vê-se acima que Jesus, aproveitando a oportunidade, faz uma comparação entre sua família, que acabava de chegar à sua procura, e  a pregação que fazia àqueles que o ouviam e haveriam de crer Nele, tão grande era sua vocação para com a palavra de Deus,  colocando claramente a sua família biológica em segundo plano.   Jesus sentia na pele um velho ditado, Santo de casa não faz milagre, fez alguns em sua cidade, mas não tanto quanto o esperado,  pela pouca fé que aqueles que o conheciam depositavam Nele.

Na seqüência do capítulo, prosseguimos com Atos dos Apóstolos falando de fé, que é uma realidade que não se vê, e aí está a virtude.   

Aos  Hebreus - Cap. 11 – Vers. 1 a 15

 

1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.

2  Porque, por ela, os antigos alcançaram testemunho.

3  Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.—( de sorte que do invisível teve origem o visivel.)

4  Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e, por ela, depois de morto, ainda fala.

5  Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado,  porque Deus o trasladara, visto como, antes da sua trasladação, alcançou testemunho de que agradara a Deus.

6  Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.

7  Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu, e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.

8  Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.

9  Pela fé, habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa.

10  Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.

11  Pela fé, também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido.

12  Pelo que também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar.

13  Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas, mas, vendo-as de longe, e crendo nelas, e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.

14  Porque os que isso dizem claramente mostram que buscam uma pátria.

15  E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar.

Nesta passagem lida, além da fé, trata-se de outro tema: estamos aqui na Terra para expiação, pois nossa terra de origem é no Universo, “sem terem recebido as promessas”(retorno a vida eterna), porém “vendo-as de longe”(UNIVERSO), uma vez que somos “estrangeiros e peregrinos” e temos que passar por todas as provações e ter fé em Deus, pois  como não temos a lembranças do que aconteceu no passado se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar”, temos que ser refinados para um reconciliamento com Deus.

 

Como foi comentado anteriormente, ou estamos com Deus e seus anjos, ou estamos com Satanás, e seus anjos caídos. Não existe meio termo. Nesta passagem abaixo, vemos um pai, implorando a Jesus pela libertação de seu filho de um mau que lhe ocorre. Provavelmente este menino tinha epilepsia. Que neste caso era provocado por uma legião de demônios que habitavam  o seu corpo. Os discípulos de Jesus já haviam tentado expulsa-los, porém sem sucesso. Jesus no entanto fica indignado com a falta de fé de seus discípulos, e  afirma que com uma pequena fé até montanhas poderão ser lançadas para outro lugar. Nada será impossível para aquele que tiver fé. Também nos adverte do estado de espírito que teremos que ter, pois se tratando de “casta de demônios” é preciso se preparar para a batalha espiritual com oração e jejum.

 

Mateus - Cap. 17 - Vers. 14 a 21]

 

14  E, quando chegaram à multidão, aproximou-se-lhe um homem, pondo-se de joelhos diante dele e dizendo:

15  Senhor, tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e, muitas vezes, na água;

16  E trouxe-o aos teus discípulos e não puderam curá-lo.

17  E Jesus, respondendo, disse: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei eu convosco e até quando vos sofrerei? Trazei-mo aqui.

18  E repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele; e, desde aquela hora, o menino sarou.

19  Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Porque não pudemos nós expulsá-lo?

20  E Jesus lhes disse: Por causa da vossa pequena fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá—e há de passar; e nada vos será impossível.

21  Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum.

 

Em Tiago, mais uma vez é mencionado que sem fé nada é possível.

S. Tiago - Cap. 1 - Vers. 2 a 6 

 

4  Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.

5  E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada.

6  Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte.

 

Nesta passagem abaixo, além da fé, Tiago nos faz lembrar que temos que confessar nossos pecados, pois os confessando a Deus e pedindo perdão aos nossos irmãos, ao orarmos seremos sarados. Veja o leitor que é condicional, se confessarmos seremos sarados.

S. Tiago - Cap. 5 - Vers. 10 a 16

 

10  Meus irmãos, tomai por exemplo de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor.

11  Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.

12  Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis nem pelo céu nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; mas que a vossa palavra seja sim, sim e não, não, para que não caiais em condenação.

13  Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.

14  Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;

15  e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.

16  Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

 

Outra situação de fé por uma mulher não judia, que devido a sua fé, alcançou misericórdia de Jesus.

S.  Mateus - Cap. 15 - Vers. 22 a 28

 

22  E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.

23  Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.

24  E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.

25  Então, chegou ela e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me.

26  Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar o pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.

27  E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.

28  Então, respondeu Jesus e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé. Seja isso feito para contigo, como tu desejas. E, desde aquela hora, a sua filha ficou sã.

 

Num outro aspecto, por não se compreender o mundo espiritual, acha-se que se sofre injustamente por não se entender as coisas que  acontecem sem uma razão aparente.   Porem vê-se pelas mensagens à frente, que se trata de uma correção que nem sempre está presente  na memória atual.  Mas é importante prevalecer-se na fé, após uma tempestade sempre vem a bonança, desta forma não se pode cair,  tem-se  que prosseguir! 

Aos Hebreus - Cap. 12 - Vers. 3  a 13)

 

3  Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos.

4  Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado.

5  E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaies quando, por ele, fores repreendido;

6  Porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho.

7  Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija?

8  Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos.

9  Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?

10  Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.

11  E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.

12  Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas e os joelhos desconjuntados,

13  e fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja se não desvie inteiramente; antes, seja sarado.

 

Cada um de nos temos um propósito segundo os dons de Cristo. Como leremos abaixo, a uns foi dado o don de pastores, outros de profetas, outros de doutores, assim por diante.

Aos  Efésios - Cap. 4  -Vers. 4  a  16

 

4  Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;

5  Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;

6  Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos.

7  Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.

8  Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens.

9  Ora, isto—ele subiu—que é, senão que também, antes, tinha descido às partes mais baixas da terra?

10  Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas.

11  E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,

12  querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo,

13  até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,

14  para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente.

15  Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,

16  do qual todo o corpo, bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.

 

Nesta passagem abaixo, temos uma grande revelação do Apostolo Paulo: que nos devemos nos fortalecer em Cristo, e em sua força (Ele venceu o mundo), pois estamos cercados de ciladas do diabo o tempo todo, afim de nos afastar da Salvação e impedirmos que ganhemos a Vida Eterna. Paulo também nos faz uma advertência que nossa guerra é espiritual, e não com o pai ou a mãe ou amigo, e sim com as potestades celestiais que atuam nestas pessoas afim de nos atingir, e para vencermos temos que nos revestir da “armadura de Deus” que é: falar a verdade, não mentir, ser justos, ser pacificador e conhecer a Palavra de Deus ( ler a Bíblia ), ter fé para não ser atingido pelos dardos inflamados do inimigo e ter na mente as mensagens bíblicas, que é a espada de Deus.

Leiamos:

 

 

Aos  Efésios - Cap. 6 - Vers. 10  a  20

 

10  No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

11  Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo;

12  porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

13  Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

14  Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça,

15  E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

16  tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

17  Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus,

18  orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos

19  e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho,

20  pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar.

 

 

 

Copyright © 2008, www.embuscadaverdade.com.br. All rights reserved.
Webmaster : J.E.S.